3Es – ECONOMIA – EMPREGO – EMPREENDEDORISMO – Em Sergipe se gasta menos tempo do que no resto do País para se abrir uma empresa

Quando é para questionar, cobrar, criticar, a gente tá aqui cheio de disposição. Mas essa mesma pegada tem que valer para quando há o que se elogiar, né não? Então, olha só que interessante e positivo: em outubro desse ano Sergipe ocupou, mais uma vez, o 1º lugar no ranking de agilidade para abertura de empresas no País. E não se trata de autopromoção, não! Quem atesta isso são os dados da Rede Nacional para Simplificação do Registro de Empresas e Negócios (Redesim). Mas, da parte que nos cabe, sergipanos e sergipanas, “nesse latifúndio”, vale destacar que vem cabendo ao Governo de Sergipe, através da Junta Comercial de Sergipe (Jucese), essa referência em agilidade nos procedimentos oferecidos aos seus usuários. Sim, porque para que se desburocratize processos é preciso que haja, acima de tudo, uma espécie de desapego, uma vontade efetiva de buscar facilitar a vida dos empreendedores. E o Ministério da Economia, em seu Mapa de Empresas, mostra que Sergipe apresentou um dos menores tempos gastos para se abrir uma empresa. Vamos aos números: em outubro/2021, 445 novas empresas foram abertas num tempo médio de 24 horas em Sergipe. Como base comparativa, o tempo médio no Brasil foi de 2 dias e 4 horas. Mas as boas notícias não param por aí, visto que a Jucese tem sido referencial ao longo do ano. Por exemplo: em setembro ela foi a Junta Comercial mais rápida do país, e segue com um dos menores tempos já computados. Assim, em outubro, por exemplo, empresários levaram em média 7h33min para registrar uma empresa em sua base de dados. Mas, no caso da abertura de empresas, ninguém faz nada sozinho, visto que os empreendedores dependem do Estado, via Jucese, mas também – e muito – de cada prefeitura, né isso? Então, veja o que diz material enviado para a imprensa pela própria Jucese. “O tempo médio de viabilidade de localização foi um dos fatores essenciais para redução no tempo de abertura, visto que o tempo de registro da autarquia é somado ao tempo locacional executado pela prefeitura de cada município. Para se ter uma ideia, em julho deste ano as prefeituras levaram em média 20h39min para executar os processos empresariais; enquanto que, no mês passado, esse tempo reduziu para 16h44min”. Mas e qual teria sido a mágica? Parcerias, leitor e leitora, sempre as boas e necessárias parcerias.

Governo, Jucese, prefeituras e Sebrae/SE

E é o presidente das Jucese, Marco Freitas, quem mostra os caminhos percorridos. Primeiro da parte governamental. “Os investimentos aplicados pelo Governo do Estado em busca de facilitar o ambiente de negócios, bem como os esforços de todos os nossos colaboradores, têm facilitado os procedimentos e contribuído para alcançarmos o sucesso empresarial”.

Governo, Jucese, prefeituras e Sebrae/SE 2

Mas Freitas também faz questão de destacar que, sozinha, a Jucese não conseguiria esses bons resultados. “A Jucese integrou todo o estado à Redesim em agosto, e agora estamos desenvolvendo atividades em parceria com o Sebrae/SE, que visam acompanhar a aplicação do Portal Agiliza Sergipe nas prefeituras municipais”.

Governo, Jucese, prefeituras e Sebrae/SE 3

Dentre essas atividades, seis workshops com o tema Desburocratiza Sergipe, já realizados, e mais três que estão acontecendo desde segunda, 8, segue nesta terça, 9, e se encerra na quinta, 11. Nesses casos, as regiões contempladas são as do Alto e Médio Sertão, Baixo São Francisco e Leste Sergipano. É bem por aí!

Deixe um Comentário