Belivaldo Chagas anuncia que deixará dinheiro em caixa para o próximo governador. Mas isso diz alguma coisa?

Antes, vamos ao que veio antes.

Jackson Barreto (MDB), quando ainda era governador, disse que a quebradeira do Estado não era culpa dele.

Belivaldo Chagas (PSD), o atual mandatário, já disse que pegou as contas do Estado e as rodovias sergipanas com mais buracos do que tábua de pirulito.

Juntos, os dois somam mais de 10 anos no poder. Mais de uma década!

E embora nenhum dos dois deseje passar para a história como administradores perdulários, nem um deles cometeria a sandice de dizer que a culpa da quebradeira seria do saudoso Marcelo Déda.

Primeiro pela inverdade, já que por mais que Déda tivesse cometido algum erro a ponto de quebrar o governo, 10 anos seria tempo suficiente pra corrigir isso.

E, segundo, porque Déda não pode se defender de ataques de antigos aliados. Simples assim!

Bem, agora o governador Belivaldo diz que deixará dinheiro no cofre para o próximo governador.

Mas deixa pra dizer isso no calor do período pré-eleitoral?

E se gaba de ser bom gestor com esse gesto sem reconhecer que, por conta da pandemia, todos os Estados, inclusive Sergipe, tiveram o maior repasse de recursos do Governo Federal na história?

E diz isso quando o mesmo Governo Federal anuncia repasse para o Estado de R$ 49 milhões oriundos da cessão onerosa para exploração de petróleo?

E diz que está com os cofres cheios mesmo com o governo tendo dado um salto de mais de 1000% no endividamento do tesouro estadual a partir de uma série infinita de empréstimos sobre empréstimos?

Olha, leitor e leitora, quem tem boca diz o que quer. Mas o governador, até pela responsabilidade que o cargo lhe exige, deveria começar mostrando que é um “grande” gestor justamente economizando nas palavras de auto-elogio e se concentrando no que é fato: o próximo governador pode até encontrar algum em caixa, mas terá que lidar com uma capacidade de endividamento do Estado no limite e com categorias-chave, como Segurança e Educação, realmente desesperadas pela perda de poder de compra de seus salários.

Até porque, Belivaldo, sem uma clareza objetiva nas informações prestadas, o risco é que Sergipe avance, sim! Mas em direção a um precipício econômico jamais visto na história também. Sem mais!

1 Comentário

  • Aderaldo Prata

    24 de maio de 2022 - 09:54

    Se ocorrerem as mudanças anunciadas no estado e no país. Novos rumos a economia tomará. Pra melhor, com certeza.

Deixe um Comentário