Capitão Samuel requereu explicações do Coronel Marcony junto a Alese

Não faltaram avisos e nem alertas no AndersonsBlog e, antes mesmo, no Blog do Cláudio Nunes, do portal Infonet, de que a relação do comandante da PM/SE, Coronel Marcony, com seus comandados está, para dizer o mínimo, desgastada. Leia, leitor e leitora, o que repassou para a imprensa a assessoria do deputado Capitão Samuel (PSC). “O deputado estadual Capitão Samuel protocolou nesta terça-feira (05), requerimento junto a Assembleia Legislativa do Estado de Sergipe (Alese) para convocação do Comandante-Geral da Polícia Militar do Estado de Sergipe, Coronel Marcony Cabral, com o objetivo de prestar esclarecimentos acerca de dois fatos que causou (SIC) indignação ao parlamentar. O primeiro, relativo a proibição da participação de policiais e bombeiros militares no campeonato esportivo de futebol, organizado pela ASSOMISE, impedindo a confraternização e a prática desportiva entre os militares sergipanos, o que ajuda na questão da saúde física e mental das tropas. O segundo, diz respeito a não autorização para liberação do espaço localizado no 2º Batalhão, sediado em Propriá, para realização de uma ação voluntária, no intuito de oferecer serviços voltados para a saúde mental dos policiais, com médico, oftalmologista, nutricionista, psicóloga, enfermeira com testes de glicemia e pressão arterial, além de assessoria jurídica, tudo de forma gratuita”. A indignação do parlamentar, no fim das contas, se torna um capítulo a mais na relação tumultuada entre comandante e comandados, com a sociedade sergipana assistindo o imbróglio chegar ao Legislativo após ecoar no Ministério Público do Estado de Sergipe (MP/SE). E assim, passo a passo, caso a caso, denúncia a denúncia, o governador Belivaldo Chagas (PSD) segue encampando e assumindo para si um desgaste claramente desnecessário e crescente. Bem como o próprio Coronel Marcony segue perdendo a oportunidade de fechar com chave de ouro uma vida dedicada à PM sergipana, mas que, por conta dos recentes episódios e das muitas denúncias deles decorrentes, corre o risco de ganhar manchas tão indeléveis, quanto também desnecessárias.

Deixe um Comentário