Casos e causos das Eleições 22 – o que Marcelo Deda, em 10, Valmir de Francisquinho, em 22, e o Aeroporto Santa Maria têm em comum? Vai vendo…

Em 10, o saudoso Marcelo Deda era governador de Sergipe e intencionava concorrer à reeleição. Mas havia um probleminha jurídico: por conta de uma provocação à Justiça Eleitoral, naquele ano, naquele momento, ainda não havia a segurança jurídica de que Deda poderia se candidatar.

Mas, em 21 de setembro de 10, todas as dúvidas foram dirimidas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) (leia um resumo aqui): Deda não seria afastado do governo, juntamente com o então seu vice, Belivaldo Chagas, e viria a concorrer e vencer a reeleição. E, no dia seguinte a decisão favorável, uma quarta, já no final da tarde, Deda desembarcou no Aeroporto Santa Maria e foi recebido por um grupo animado, porém pequeno, de petistas.

Ao recordar esse episódio, AndersonsBlog buscou informações para não ser traído pela memória. E a movimentação pequena pra Deda no aeroporto se deveu ao próprio e ao seu staff, que consideravam o episódio superado, até porque, até então, Deda respondia por possíveis crimes eleitorais que teriam sido cometidos quando ele estava deixando a prefeitura de Aracaju para ser pré ao governo, isso em 06.

É que do aniversário da capital até as inaugurações realizadas em seguida, todas tiveram shows artísticos e a presença, é claro, do então prefeito e futuro governador de Sergipe, como a história conta bem.

Cortemos para 22: o pré ao governo, Valmir de Francisquinho, teve uma derrota apertada no mesmo TSE nesta quinta, 23, da qual cabe recurso (leia mais aqui). Mas o início da madrugada da sexta, 24, um feriado, com shows rolando em todos os cantos do Estado, inclusive com a abertura do imenso Forró Caju “cumeno no cento”, a festa pareceu se transferir para o Aeroporto Santa Maria. Nesse ponto, AndersonsBlog não vai se alongar: assista o vídeo, leitor e leitora, e tire as suas conclusões.

E tudo isso porque, em 18, acusam Valmir de se utilizar da cor azul para promover o nome de seu filho, Talysson de Valmir, que foi eleito o deputado estadual mais votado. E olha que este site nem vai entrar no mérito de acusações como o fato dele ser o mais votado ou de usar o nome do seu pai na urna, não! Nesses pontos, até quem votou contra Valmir e Talysson reconheceu a improcedência.

Mas, ao final e ao cabo, a ideia aqui não é comparar as duas figuras públicas. Deda e Valmir são absolutamente diferentes em termos de origem e de história, lógico. Mas não dá para não comparar os dois momentos históricos: Deda chega de Brasília com a notícia aguardada pelos seus eleitores e simpatizantes, mas tem um aeroporto com público, mas muito tranquilo, isso num final de tarde duma quarta. E ele sendo governador, seria até normal que o aeroporto lotasse, né não? E como seria a recepção se a notícia que Deda portava fosse negativa?

Valmir chega de Brasília com uma notícia, neste momento, negativa para seus eleitores e simpatizantes e tem um aeroporto lotado, com os presentes ovacionando-o, com cânticos e palavras de ordem. E Valmir não ocupa cargo nenhum na vida pública nesse momento. E isso tudo à 1:30h da madrugada de uma sexta, 24 de junho de 22, dia de São João e feriado geral! Chama ou não chama a atenção? E como seria a recepção se a notícia que Valmir portava fosse boa?

E antes da grita, reforce-se: aqui não se está comparando pessoas, mas sim dois momentos históricos das eleições sergipanas, um em 10 e outro neste ano da graça de 22! É ou não é para se refletir? Feliz São João, viu?

5 Comentários

  • Benezinho de Socorro

    24 de junho de 2022 - 16:30

    Quando o povo quer não tem jeito

  • Neilma Rapuzel

    24 de junho de 2022 - 20:58

    Bela retrospectiva

  • Ingrid Ramos Petrola

    24 de junho de 2022 - 21:20

    👏👏👏👏👏👏👏💙💙💙💙

  • Jean

    24 de junho de 2022 - 21:20

    Quero ver quem segura a avalanche do 🦆🦆🦆 VALMIR se fortalece a casa dia Metidieri e Rogério que se rebolem #valmirgovernador

  • Joseane Melo passos Melo

    25 de junho de 2022 - 00:51

    I povo fortalesse Valmir indo as ruas e gritando seu nome.
    Dando dor de cabeça aos que dizem ser forte
    Mas na verdade estão acuados porque sabem que estão diante de um adversário muito forte

Deixe um Comentário