Comando da PM/SE: vocação comprovada para transtornos desnecessários

O texto a seguir, publicado originalmente no site Ajunews sob o título “Demora e falta de informações do MP-SE em processo envolvendo coronel da PM/SE”, datado da última quinta, 14, foi construído à quatro mãos pelos jornalistas Dhenef Andrade e Peu Moraes. E AndersonsBlog o republica por se tratar de um tema que, ainda bem, tem ganhado mais e mais repercussão na imprensa sergipana. Para contextualizar: o tema em questão é a série quase infinita de denúncias relacionadas ao comando da Polícia Militar do Estado de Sergipe (PM/SE), à cargo, atualmente, do Coronel Marcony. Sem mais delongas, vamos ao que reporta o Ajunews. Ao final, AndersonsBlog tece breve e necessária análise. “O promotor de Justiça do Ministério Público de Sergipe (MP/SE), Newton Silveira Dias Junior, da 7ª Promotoria de Justiça dos Direitos do Cidadão, especializada na Defesa do Patrimônio Público, da Previdência Pública e da Ordem Tributária, negou conceder maiores detalhes sobre a denúncia que envolve suposto recebimento de verbas remuneratórias por parte do Coronel Eliziel Alves Rodrigues, que ocupa a função de Corregedor-Geral na Polícia Militar do Estado de Sergipe – PM/SE. Em duas tentativas a reportagem buscou o promotor, responsável pela condução das investigações, para que desse detalhes da denúncia e orientações sobre o caso. A primeira, por meio de contato telefônico com a assessoria do MP/SE, na terça-feira (5), para que fosse feita a ponte com o promotor. O envio de cinco perguntas foi realizado, conforme solicitado pela assessoria, e após três dias a devolutiva do promotor público se deu de forma curta, conforme segue. “O procedimento referido (81.21.01.0069) tem natureza de NOTÍCIA DE FATO, encontrando-se em fase inicial de investigação. Está garantida a todo e qualquer cidadão o acesso a todas as informações e documentos reunidos até o momento no referido procedimento mediante simples consulta ao sistema de acompanhamento eletrônico do MP/SE”. As perguntas enviadas, no entanto, buscavam aprofundar o entendimento da pauta de interesse público e foram ignoradas pelo promotor, que reforçou que os documentos presentes na plataforma de consulta do MP seriam suficientes. Em nova tentativa de contato, nesta quarta-feira (13), a reportagem foi informada pela assessoria que o magistrado não responderia às perguntas. “Dr. Newton prefere não conceder entrevista. Ele disse que o encaminhamento do MP sobre o caso está disponível no processo, que você tem o número”, informou. Se tratando da complexidade do caso e do interesse público envolvido na denúncia, a negativa aos questionamentos ao Ajunews e a atitude do servidor público vão de encontro com o Código de Ética dos Jornalistas em seu capítulo I: Do direito à informação, que em seu parágrafo 2º cita: Art. 2º Como o acesso à informação de relevante interesse público é um direito fundamental, os jornalistas não podem admitir que ele seja impedido por nenhum tipo de interesse, razão por que: IV – a prestação de informações pelas organizações públicas e privadas, incluindo as não-governamentais, é uma obrigação social. Ademais, a fiscalização do setor público é um papel universalmente reconhecido à imprensa e tal ato necessita da colaboração dos atores envolvidos, sejam de quais esferas dos Três Poderes pertençam. A reportagem fica a disposição do promotor, na qualidade de servidor público, para que ele preste as informações solicitadas para o devido conhecimento da sociedade sergipana”. Bem, leitor e leitora, quanto ao promotor Newton Silveira Dias Junior, AndersonsBlog, por ser conterrâneo – ambos lagartenses – e contemporâneo, e apesar da falta de contato há muito tempo, atesta sua seriedade e idoneidade, características que sempre marcaram seu comportamento, desde lá atrás, quando Newtinho era, merecidamente, um dos mais brilhantes alunos do Colégio Polivalente – sem saudosismos baratos, mas que tempo bom aquele, viu? Por isso que crê que este silêncio é fruto de algum mal-entendido ou mesmo de uma aversão – de certo modo positiva – aos holofotes da parte de Newton. Contudo, diante da importância desse caso e das demais denúncias formuladas contra ações do comando da PM/SE, vale a cobrança feita pelo Ajunews e reforçada aqui por AndersonsBlog: Dr. Newton, não silencie diante de algo que a sociedade tanto merece ser esclarecida, ok? Mas, ao final e ao cabo, esse episódio lamentável da falta de informação é emblemático em relação a gestão do Coronel Marcony à frente da PM/SE. Com denúncias aos borbotões, nem Marcony e nem o comandante em chefe da polícia sergipana, o governador Belivaldo Chagas (PSD), dão nenhum tipo de satisfação à sociedade. É como se os dois vivessem em um outro mundo, desconexo da realidade que todos nós, povo, vivemos. É chato insistir num mesmo tema. Mas é muito mais chato o fato de que Marcony e Belivaldo não estão nem aí e nem chegando para os clamores da população, né não? Até quando?

Deixe um Comentário