CSF – CULTURA SEM FRESCURA – Simone de D. Raimunda segue firme administrando Riachão do Dantas e garantindo um belo alavantú na autoestima riachãoense

Sabe o que é muito legal de gerir e produzir um site clara e efetivamente focado na emissão de opiniões analíticas, como é o caso deste AndersonsBlog? Dentre outras coisas, claro, destaque-se a oportunidade da casa opinar, de ter gente que concorde, gente que discorde, gente que nem uma coisa e nem outra e por aí vai. E isso sem amarras, sem vínculos e sem interesses por traz. E isso é muito massa!

Então, no início desta semana, AndersosnBlog publicou um estudo sobre a importância dos festejos juninos para as cidades sergipanas. Naquela oportunidade (leia aqui) o viés foi para o impacto econômico das tais festas. Mas e o impacto emocional, que alcança a autoestima da população? Nesse caso, melhor exemplo do que o que ocorreu em Riachão do Dantas não há!

Sim, porque os festejos juninos riachãoenses neste 22, assim como nas demais cidades, veio com a marca da superação, uma vez que é a primeira grande festa após dois anos de pandemia. Mas os diferenciais em Riachão são muitos e muito bons.

Por exemplo, a competente gestão da prefeita Simone de D. Raimunda começou acertando até no nome: “Alavantú Riachão”. Alavantú, que vem do francês “em avant tous”, que significa “encaminhar tudo”, na linguagem do quadrilhês, é o momento em que os dançantes de uma quadrilha junina vão para frente.

Portanto, “Pra Frente, Riachão”, em resumo, é o que o nome das festas juninas riachãoense quer dizer. A gestão de Simone acertou em cheio, né não? E o nome fez jus a festa por uma questão mais óbvia: dois dias, 17 e 18 de junho, foram dedicados a uma mega-festival de quadrilhas juninas que teve a participação da Xote Baião, Arryba Saya, Unidos do Arrasta-Pé, Unidos de Asa Branca, Caprichosos de São João, Acenda a Fogueira e Raio da Silibrina encantando o público que lotou o Ginásio Marcelo Deda, numa prova de que, com investimento correto, é possível gastar pouco e proporcionar muito para a população. Um verdadeiro show!

E durante os três dias de festa, 17, 18 e 19, a população riachãoense e os turistas puderam se esbaldar na festa em praça pública, com atrações para todos os gostos: Manjinho o Estouradinho, Di Piseiro, Luciano Matos, Faelzinho Moral e Raay Silva, Helder Nascimento, Samyra Show, Jeanny Lins e Dedé Brasil, Boyzinho do Piseiro, Big Love, Luciene Melo e Top Music, com DJ Washington animando a festa nos intervalos entre as atrações. E o sucesso de todas as noites pode comprovar que, com inteligência e bom gosto, se pode, sim, fazer uma programação musical que caiba no orçamento da cidade, agradando a todos, sim sinhô, né não?

E, pra fechar com chave de ouro, carroceta no domingo, 19, com premiação para os participantes e Barco de Fogo e show de espadas diretamente de Estância. Isso tudo além de Riachão ficar super bonita toda arrumada e enfeitada para celebrar as festas juninas.

Tudo, repita-se, com orçamento dentro da realidade do município que, como se sabe, é apertado, limitado mesmo, mas que teve a liderança e perseverança da prefeita Simone na condução de uma festa que gerou divisas, movimentando a economia, mas, principalmente, elevou a autoestima do povo riachãoense como, de mais a mais, vem fazendo a administração municipal em todas as suas áreas de atuação.

E você, leitor e leitora, pensa que acabou? Que nada! A prefeita informa, ao mesmo tempo em que convida, a todos para o encerramento oficial do Alavantú Riachão no próximo dia 2 de julho no povoado Tanque Novo, que, combinemos, é um povoado com o desenvolvimento que muitas cidades sergipanas ainda não atingiram.

E o sucesso foi tamanho que a Simone de D. Raimunda confidenciou à AndersonsBlog que, no segundo semestre, no povoado Palmares, a gestão dela intenciona apresentar a Riachão, a Sergipe e, porque não?, a todo o Brasil mais uma inovação que promete muito: o 1º Festival de Inverno!

É por isso que AndersonsBlog afirma, sem medo de errar: com inteligência, criatividade, senso apurado de realidade e respeito ao erário é possível se fazer muito. E Simone de D. Raimunda vem utilizando essa receita e vem fazendo. Siga assim, Simone, que Riachão seguirá em frente. Alavantú, Riachão!

 

Deixe um Comentário