Hilda Ribeiro, o Balneário Bica e a síndrome de patinho feio

Quem conhece o Balneário Bica – que, oficialmente, leva o nome do saudoso exator José Aguinaldo Silva – sabe de uma coisa: o local é uma das mais belas e encantadoras áreas verdes de Lagarto. E isso não é pouca coisa, ainda mais levando em consideração que o local está incrustado na área urbana do município, coisa rara em se tratando de cidades sergipanas. Mas de tão bonito, o Balneário Bica acabou se tornando uma espécie de patinho feio. Senão, vejamos: o local já passou por inúmeras reformas, sendo a mais ruidosa delas ocorrida no longínquo ano de 1997, quando o então prefeito, recém eleito, Jerônimo Reis, fechou as portas do lugar pra uma… reforma. Mas como assim? Tendo sido aberto para a função de balneário público no início da década de 1990, adequações até valeriam a pena. Mas uma reforma? Pois o tempo passou, o balneário passou também por outras reformas e, agora, em pleno 2021, a prefeitura de Lagarto anuncia nova… reforma. AndersonsBlog vai se permitir ao exercício da boa vontade, torcendo pra que, desta vez, a tal reforma seja definitiva e, finalmente, faça com que o local, tão belo por natureza, passe a ser, enfim, utilizado pela população de forma ampla, geral e irrestrita. Caso contrário, a tão festejada ação, anunciada pela prefeita Hilda Ribeiro (SD), com pompa e circunstância, se mostrará apenas mais do mesmo. Ou seja: entra ano e sai ano, mas as práticas administrativas dos folclóricos e nada elogiáveis grupos políticos pseudo-antagônicos, Saramandaia e Bole-bole, seguem sendo as mesmas. Se assim for, pobre Balneário Bica… tão belo e tão tratado como um patinho feio que precisa de reforma atrás de reforma, sem nunca ser considerado um patrimônio do povo lagartense e não de gestão A ou B.

Veja imagens da maquete eletrônica da reforma que, espera-se, seja a última do Balneário Bica.

 

Deixe um Comentário