Pesquisa Datalô/Alô News – Senado – André Moura lidera em cenário inflacionado por número gigante de candidaturas

Como sempre esclarecendo: AndersonsBlog não briga com números e não questiona metodologia de qualquer que seja a pesquisa, portanto não pré-julga ninguém. E, como se sabe que neste exato momento dezenas de pesquisas estão sendo consumidas internamente pelas candidaturas realmente sérias, que querem chegar a algum lugar, o blog considera importante a análise das pesquisas que foram devidamente registradas para posterior divulgação. É do jogo, é do processo e é, como diria Tony Xocolate, “normal”. Portanto, deixemos de lenga-lenga e passemos a análise da pesquisa Datalô/Alô News – cujos dados para efeito de registro sem encontra ao final desse texto. Comecemos com os números da avaliação da disputa para o Senado.

SE AS ELEIÇÕES DE 2022 FOSSEM HOJE, EM QUAL DESSES CANDIDATOS ABAIXO O   SENHOR(A) VOTARIA PARA SENADOR(A)? (INDUZIDA)

André Moura – 7,64%

Jackson Barreto – 7,58%

Eduardo Amorim – 6,71%

Danielle Garcia – 5,28%

Valmir de Francisquinho – 4,47%

Valadares Filho – 3,85%

Laercio Oliveira – 2,73%

Emilia Correa – 2,17%

Adelson Alves – 1,55%

Adir Machado – 0,87%

Airton Costa – 0,56%

Emanuel Cacho – 0,37%

Coronel Rocha – 0,25%

Henri Clay – 0,19%

Branco/nulo – 14,66%

Não sabe/nr – 41,12%

Então, são 14 os nomes apresentados aos entrevistados. Esse número é possível? Sim. Mas também é muito improvável se materializar. Assim, a liderança de André Moura, com 7,64% das citações, não pode ser nem desprezada e nem, ao mesmo tempo, celebrada com excessos pelos seus partidários. É que, como se sabe, André pode até ser candidato, mas, até lá, terá que resolver questões judiciais que urgem e cujos prazos mais e mais se apertam. Se ele estiver na disputa, conforme atesta a pesquisa Datalô/Alô News, será um contendor a ser respeitado pelos seus adversários. Daí por diante e até certo ponto – Jackson Barreto; 7,58%; Eduardo Amorim, 6,71%; e Danielle Garcia, 5,28% – a pesquisa mantém cenários mais próximos dos que efetivamente devem ocorrer na disputa, com pré-candidaturas bastante prováveis literalmente empatadas tecnicamente. Na sequência, com Valmir de Francisquinho, 4,47%; Valadares Filho, 3,85%; Laercio Oliveira, 2,73%; Emilia Correa, 2,17%; Adelson Alves; 1,55%; Adir Machado, 0,87%; Airton Costa, 0,56%; Emanuel Cacho, 0,37%; Coronel Rocha, 0,25%; Henri Clay, 0,19%; alguns nomes despontam, mas muito mais como efeito da consulta absolutamente ampla. Portanto, sem excluir nenhuma hipótese, é mais provável que, com os nomes de Laércio, Coronel Rocha e Henri Clay, somados a mais, no máximo, dois ou três nomes, ao invés do total de 14, tenhamos aí entre 7 e 10 candidaturas pra valer ao Senado em 22. Por isso mesmo que, diante de tantas opções, chama a atenção de AndersonsBlog os seguintes índices, altíssimos: Branco/nulo, 14,66% e Não sabe/nr, 41,12%. Quase 56% dos entrevistados simplesmente não se engraçaram de nenhum dos 14 nomes apresentados na pesquisa que foi realizada nos 75 municípios sergipanos, com 1610 entrevistados, entre os dias 5 e 10 de abril de 2022 e está registrada no TSE sob o número SE-06804/2022, tendo como responsável a estatística Drielly Julianne Rodrigues Santos. A margem de erro é de 2,44%. Sigamos!

 

 

Deixe um Comentário