Rodrigo Valadares, João Fontes e o imbróglio nacional dentro do PTB que respinga na política sergipana

Até que ponto uma relação conturbada dentro de uma agremiação partidária, no plano nacional, pode afetar a política local? AndersonsBlog confessa que não acreditava ser possível as disputas internas pelo comando nacional de um partido terem reflexo na política nossa de cada dia aqui em Sergipe. Mas aí veio o PTB e desmistificou essas impressões pueris aqui do blog. Primeiro foi o envolvimento do nome do deputado Rodrigo Valadares na briga de foice no escuro que se tornou a luta pelo comando do PTB. Quem acompanha AndersonsBlog sabe que Rodrigo sempre foi apontado pela casa como sendo uma jovem e promissora liderança da direita em Sergipe. Mas, assim que seu nome é associado ao escândalo, com ataques diretos do ex-presidente do partido, Roberto Jefferson, de sua filha, Cristiane Brasil, além de outros nomes menos votados, Rodrigo opta pelo silêncio, vindo a se manifestar justamente nos últimos dias, justamente no ocaso de seu agrupamento, a nível nacional, no comando do PTB. Isso afetou, e muito, a imagem de Rodrigo, pois uma coisa é ele ter adversários em Sergipe que o ataquem. E outra, bem diferente e mais grave, é ele ter filiados ao partido que ele comanda aqui o atacando sem cessar e, pior, conseguindo tomar na Justiça o PTB exatamente do grupo do qual Rodrigo fazia parte. Um desastre! Numa outra frente, surge o ex-deputado federal João Fontes, que agora assume o comando do PTB em Sergipe. Um capacitado leitor da política sergipana, João estava meio que na dele. E ainda que possa ter se movimentado para herdar o PTB, não se pode associar seu nome aos problemas vividos recentemente pela sigla. Assim, João Fontes pode – e há tempo para isso – recuperar o partido para torna-lo competitivo ainda nas eleições desse ano. Assim, da parte de Rodrigo, o tempo urge para que ele ajuste um outro partido – e, desta feita, muito dificilmente terá um partido para chamar de seu, viu? – e dispute as eleições de 22. Diante das dificuldades enfrentadas nessa disputa pelo PTB, o deputado terá que se empenhar muito para aparar as arestas deixadas pela briga pesada e garantir a confiança de quem quer que seja o dirigente partidário. Já João Fontes, ainda que autodeclarado pré a governador, tem que correr contra o tempo – ou seja, até 1º de abril – para montar chapas competitivas na disputa das vagas de deputado, estadual e federal. Ambos não têm missão fácil. Então, que lutem! Mas viu, leitor e leitora, como uma briga interna, nacional, como a ocorrida no PTB, acaba, sim, influenciando a política local? Pois é: trata-se da globalização dos conflitos políticos e da luta pelo poder, meus caros e caras!

1 Comentário

  • REGES B SILVA SILVA

    12 de março de 2022 - 20:06

    O QUE DIZER. PEDRO VALADARES NETO. NOSSO INESQUECÍVEL PEDRINHO ERA UM CIDADÃO DE BEM E DO BEM. LEALDADE E HONESTIDADE. JÁ RODRIGO É TOTALMENTE DIFERENTE. NUNCA SE OREOCUPOU EM DESCOBRIR COMO MORREU SEU PAI E EDUARDO CAMPOS. VOTOU E APOIOU O PT LULA. TEVE TUDO PARA LIDERAR O PARTIDO COM BOLSONARO EM SERGIPE MAS FICOU ENCIMA DO MURO E VOTOU NO PT HADDAD.

Deixe um Comentário