Belivaldo aposta em cerveja alaranjada. Seria um projeto laranja?

Carga tributária é assunto pra mais de duzentos anos e, creia, sem nenhuma garantia de que se chegará a um consenso. Mas, de tempos em tempos, alguma novidade sobre o assunto acaba chamando a atenção. E, nesse caso, nem que seja pelo caráter inusitado. Dessa forma, chegamos ao governador Belivaldo Chagas (PSD) e uma ideia no mínimo incomum. É que o governo estadual enviou para a Alese, e aprovou, projeto de lei que reduz de 27% para 13% o ICMS na produção de cerveja à base de laranja em Sergipe. Assim, de supetão, não tem quem diga que não é uma boa ideia. A justificativa governamental também é muito legal. Nas palavras do próprio governador, “é mais uma ação para fortalecer a produção agrícola e também para geração de emprego, já que pretendemos incentivar a criação de uma cerveja que leve a marca de Sergipe”. Tudo bem, tudo certo? Bom, mais ou menos, sendo bem mais pra menos do que pra mais. Explica-se: não que AndersonsBlog não simpatize com a ideia de que, para fazer jus a esse incentivo fiscal, os cervejeiros produzam cervejas que contenham pelo menos 0,35% de suco de laranja na sua composição. Acontece que, a bem da verdade, esse tipo de cerveja não é fabricado, ainda, em Sergipe – pelo menos o titular desse blog nunca as experimentou, o que nem quer dizer muita coisa, visto que o paladar cervejista por aqui é bem simples mesmo, baseado nas grandes e conhecidas marcas e ponto. Ou seja: a intenção de incentivar a cadeia produtiva de laranja e de cerveja é apenas… uma intenção! AndersonsBlog, recentemente, elogiou demais a manutenção da redução do ICMS na produção de milho. Mas agora, com esse projeto de alaranjar as cervejas a serem aqui produzidas, há, sim, uma forçação de barra por parte do governo. E para que essa opinião mude, urge que cervejas com suco de laranja em sua composição ganhem o mercado e o paladar da população. Se isso não ocorrer, Belivaldo verá essa ideia de seu governo se tornar conhecida como “projeto laranja”, no sentido negativo, claro!

Deixe um Comentário