É muito justo que o relógio da sucessão, na base governista, seja mesmo o do governador Belivaldo Chagas

Há uma preocupação exagerada pela definição da candidatura da base governista ao governo? Há sim! Mas olha só, leitor e leitora: o governador Belivaldo Chagas (PSD) sabe que o anúncio de seja qual for o nome escolhido significa um rearranjo de forças na administração estadual. E isso é muito natural, um processo pelo qual o próprio Belivaldo passou em 2018. Seria muita ingenuidade acreditar que o governo, a chamada máquina, com um nome definido, não passaria a trabalhar para que justamente este se torne o próximo governador. Além disso, aqueles que forem preteridos merecerão especial atenção por parte do governador e buscarão emplacar nomes de sua confiança para cargos importantes. É assim e sempre foi assim! E quem considerar isso uma aberração, busque se eleger parlamentar federal ou apoie quem, caso eleito para a função, mude a legislação. É assim que funciona, no momento, o jogo. E ele tem que ser jogado conforme as regras disponíveis. Agora, não deixa de ser uma demonstração de responsabilidade do governador optar pelo anúncio do escolhido por seu grupo para os 49 do 2º tempo. E mesmo que isso possibilite riscos eleitorais, por outro lado garante uma estabilidade administrativa absolutamente necessária em tempos tão complexos como os que vivemos. Por isso, Belivaldo está certo em não deixar a sangria desatar e nem seguir pelo relógio de quem quer que seja em relação ao calendário pré-eleitoral do agrupamento que ele comanda. O resto é perfumaria…

 

Deixe um Comentário