OAB/SE terá em Danniel Alves candidatura oposicionista de fato e de direito

Com o pedido antecipado de desculpas pelo trocadilho do título, AndersonsBlog o justifica: um dileto amigo do site, grande conhecedor dos bastidores de toda e qualquer disputa eleitoral em Sergipe, havia alertado que, pelo adiantado da hora, já que as eleições para o novo comando da Ordem dos Advogados do Brasil, em sua seccional Sergipe (OAB/SE), devem ocorrer na segunda quinzena de novembro próximo, tudo indicaria que a disputa seria definida por W.O. Mas eis que, do último final de semana para cá, este site passou a ver movimentações oposicionistas em relação as próximas eleições da OAB/SE. E, confessa, gostou do que viu. Só que, antes mesmo de falar sobre a candidatura de Danniel Alves Costa ao comando da Ordem – um quase homônimo de ótimo presságio, para ele, visto que, subtraído um ‘n’, seu quase xará, Daniel Alves, é o detentor do maior número de títulos que um jogador de futebol possui em todo o planeta, ou seja, é um vencedor incontestável –, cabe uma análise sobre o que a OAB/SE, em sua atual gestão, apresentou aos sergipanos nos últimos dois anos. E olha que, num momento tão delicado da humanidade, em meio aos sofrimentos causados pela pandemia, razões e motivações não faltaram para que a OAB/SE atuasse de forma incisiva na defesa da sociedade e da advocacia. Então, vamos lá: mesmo sem juízo de valor algum, visto que se tratam de episódios ainda a serem esclarecidos, investigados e, quando o caso, devidamente julgados, quem viu, leitor e leitora, alguma manifestação da OAB/SE quanto a compra de respiradores pelo governo estadual, via Consórcio do Nordeste, e que nunca chegaram a Sergipe? E quando as vacinas tardavam a chegar, a OAB/SE lançou alguma nota cobrando do Governo Federal celeridade? E em relação ao incêndio na ala destinada ao tratamento da Covid-19 no Hospital Nestor Piva, em Aracaju, a OAB/SE se posicionou? E, mais recentemente, a OAB/SE soltou alguma palavra sequer sobre o denunciado, pelo Ministério Público Federal, Hospital de Campanha, também na capital sergipana? Nada, nada, nada, né isso? Por isso que, quanto a atuação em causas socialmente relevantes, a impressão que AndersonsBlog tem do atual comando da OAB/SE é que, grosso modo, se trata de um “puxadinho” governista, seja qual for o governo de plantão. E se não atua de forma aguerrida na defesa dos interesses da sociedade civil organizada, por quais motivos haveríamos de acreditar que a atual gestão da OAB/SE defenderia aqueles que, obviamente, são sua razão de ser e existir, justamente os advogados e advogadas de Sergipe? Pois bem, AndersonsBlog teve sua atenção voltada para a candidatura de Danniel Alves à presidência da OAB/SE exatamente nesse ponto. Em todas as suas falas e colocações, via imprensa, ele, que pode ser, do alto de seus 38 anos, enquadrado na chamada ‘advocacia jovem’, faz uma defesa intransigente das prerrogativas; alerta para a inércia da atual gestão em relação aos desafios impostos pela pandemia, observando que as novas tecnologias foram e seguem sendo um gargalo não enfrentado e resolvido pela atual gestão; ressalta que a OAB/SE não pode ser suscetível a vícios eleitorais recorrentes, como promessas que não podem ser cumpridas; e, finalmente, dá uma espécie de senha, através de frase proferida em entrevista ao portal Universo Político (leia na íntegra aqui), que tem peso e consistência. “Zelar pela figura do advogado e por uma OAB atuante, forte e independente é defender a Constituição Federal, os direitos humanos e o Estado Democrático de Direito”. Assim, AndersonsBlog, ao final e ao cabo, respeita a opinião do dileto amigo lá de cima deste texto, mas enxerga uma luz no fim do túnel na candidatura de Danniel Alves à presidência da OAB/SE. Por W.O., mantendo o mesmo agrupamento ad infinitum no poder, como se essa importantíssima instituição fosse um mero feudo, as eleições da OAB/SE não se decidirão. E que venha a segunda quinzena de novembro, ora pois!

1 Comentário

Deixe um Comentário