PSOL e a chance de fazer história em Aracaju em 20

Se, sei lá, há coisa de três, quatro anos você me dissesse que uma candidatura de direita, sem estrutura eleitoral tradicional bem definida, sem muito tempo de propaganda eleitoral e com um nome muito identificado com o ideário conservador teria reais chances de governar o Brasil, eu duvidaria frontalmente, acharia que era uma piada e coisa e tal. Mas a realidade está aí para provar que eu estaria errado. E se uma candidatura de esquerda, sem estrutura eleitoral bem definida, sem muito tempo de propaganda eleitoral e com nome muito identificado com o ideário esquerdista, liberal nos costumes e coisa e tal, fosse tida como uma possibilidade efetiva de comandar Aracaju a partir de 2021, você duvidaria? Bom, eu já não mais, viu? Por isso que a confirmação do PSOL de que sua pré-candidatura a prefeito da capital sergipana será a professor universitário, “jovem e negro” – como frisa release enviado por um dos melhores textos sergipanos, o jornalista e militante Henrique Maynart – Alexis Pedrão deve ser visto como um dos momentos importante dessa peleja eleitoral bastante inusitada que está por vir. Afora o “Fora Bolsonaro”, que é um direito do PSOL, claro, mas que me parece meio deslocado dos problemas factuais aracajuanos, Pedrão terá fértil base para se posicionar: bandeira anti-racista e a participação direta no movimento Não Pago, que infernizou proprietários de empresas de transporte coletivo nos últimos anos, têm apelos bastante instigante junto ao eleitorado. E é bom que os demais contendores levem a sério a pré-candidatura de Alexis Pedrão. Ou correrão o risco de, assim como eu, se descobrir errado após desacreditar que pequenas candidaturas podem possuir capacidade de convencimento e votos, viu?

Em tempo

O release do PSOL traz ainda informações interessante acerca da pessoa Alexis: “Alexis Magnum Azevedo de Jesus, mais conhecido como Alexis “Pedrão”, tem 34 anos, é casado e pai de cinco filhos. Nascido em Feira de Santana (BA), ele mora em Aracaju desde o primeiro ano de vida. Alexis é professor de Direito na rede particular de ensino. Graduado em Direito pela Universidade Federal de Sergipe (UFS) em 2013, ele é mestre e doutorando em Educação”. Então, tá posto e tá dito…

Conta canalha

Um videozinho bem mequetrefe, que dizem ser ligado a turma do ex-prefeito de Tobias Barreto e atual deputado estadual Dílson de Agripino (Cidadania), está incomodando a população tobiense. É que, nele, uma conta infeliz é feita em cima dos repasses federais para que o município repare as perdas arrecadatórias por conta da pandemia. Ora, ora, isso é se utilizar politiqueiramente dos prejuízos causados pelo novo coronavírus na economia do país, sem levar em consideração que o que mais importa são as vidas.

Conta canalha 2

E o que é que o vídeo mostra? Que com o valor do repasse, que para Tobias ficará em torno de R$ 6 milhões, pago em quatro parcelas, daria para comprar “x” testes, “y” ambulâncias, “z” leitos e por aí vai. Sim, mas esses valores repassados serão para ajustar as contas como um todo, ou seja: para pagar “x” de salário, “y” de fornecedores e “z” de insumos, além de combater a pandemia. Como já foi prefeito, Dilson deveria conversar com seus apoiadores para que evitem soltar conteúdo na internet que não se sustenta na realidade, né não?

Opinião firme

O colunista Cláudio Nunes, da Infonet, em sua coluna desta terça, 14, é o mais direto possível: está na hora do governador Belivaldo Chagas (PSD) decidir pela reabertura do comércio e pronto. “Não tem como esperar mais. Sergipe não vai melhorar o nível de isolamento, que na verdade nunca foi respeitado por parte significativa da população”. Leia a íntegra aqui.

Deixe um Comentário