Repercutindo Samarone: o que Valmir de Francisquinho fez por Itabaiana é o que credencia seu nome para o governo estadual

E para finalizar essa micro-série em que AndersonsBlog repercute o texto “E as novidades?” (leia aqui), do médico sanitarista Antônio Samarone, chegamos finalmente ao nome do ex-prefeito de Itabaiana, Valmir de Franciquinho (PL). “O ex Prefeito, Valmir de Francisquinho, transformou Itabaiana num centro urbano bem cuidado. Como resultado, transformou-se numa liderança política que não pode ser ignorada na sucessão estadual. Sem sair de Itabaiana, Valmir comanda um Partido grande. Iniciou a construção de sua candidatura a governador. Uma ousadia! Começou a circular na grande Aracaju e foi recebido com festa, por onde passou. Não sei se essa candidatura se tornará realidade. Apenas constato que a imprensa livre não subestima a iniciativa de Valmir. Parte da opinião pública começou a enxergar viabilidade”. As observações analíticas de Samarone encontram eco na realidade por algumas razões objetivas. A primeira delas é o fato de que Valmir, após cinco mandatos de vereador, ao concorrer contra o então prefeito, candidato a reeleição, Luciano Bispo (MDB), um nome até então “inderrotável”, em 2012, foi menosprezado por Luciano e seu staff. Aí a eleição veio, Valmir venceu e começou a escrever seu nome na história política itabaianense. Recebeu a prefeitura das mãos da Justiça, já que as contas estavam bloqueadas por uma série de dívidas não honradas, entre elas, três meses de salário e 13º atrasados, resolveu a situação toda em menos de um ano e transformou a cidade num canteiro de obras. Não deu outra: em 2016, na sua reeleição, deu uma lapada de quase 18 mil votos no adversário. À época foi a maior diferença nominal de votos em todo o Estado. Na sua segunda gestão, apesar do malfadado episódio do Matadouro Municipal – assunto para um outro comentário aqui em AndersonsBlog, pois Valmir foi detido, acusado de malversação de recursos públicos, mas neste ano da graça de 2022 teve suas contas justamente daquele período aprovadas pelo TCE/SE – Valmir de Francisquinho intensificou sua ação obreira por toda a cidade e pelos povoados, manteve pagamentos em dia, se tornou um dos únicos prefeitos do País a dar aumento aos servidores em pelo menos três oportunidades e, com isso, viu seus feitos alcançando a população de toda a região Agreste. Além de gente de Aracaju e dos demais municípios sergipanos, que buscam o pujante comércio itabaianense para suas compras, ter visto claramente que, ao longo de oito anos, Valmir de Francisquinho transformou Itabaiana numa cidade progressista, desenvolvida e com infraestrutura suficiente para garantir qualidade de vida a quem vive no centro urbano ou quem mora nos povoados. Mas Valmir está sem mandato! Então, o que garantiria sua boa presença no imaginário popular? Bem, uma das explicações, além do carisma do próprio, é que essa historinha de que o “povo tem memória curta”, em tempos de redes sociais, é “conversa pra boi dormir”. Basta qualquer um ir nas redes sociais de próprio Valmir e, nos feed de notícias, recuperar todas as ações que ele efetivamente fez. Além disso, o sucesso de suas duas gestões fez com que ele elegesse seu sucessor, Adailton Sousa (PL) – numa outra lapada de votos, quase 8 mil deles, na terceira maior diferença da história de Itabaiana –, que vem fazendo uma gestão a altura das suas, o que comprova o papel de líder de Valmir e sua visão estratégica e de futuro. São fatos assim que credenciam, sim, o nome de Valmir de Francisquinho como um dos mais comentados quando o assunto é a sucessão do governo estadual. Simples assim também!

Deixe um Comentário