Série Renovação na Alese 2ª temporada: Silvany, em Capela, quer eleger Cristiano Cavalcante como deputado estadual

Na série Renovação na Alese, nesta sua 2ª temporada aqui no AndersonsBlog, chegou a vez de avaliar as possibilidades de Cristiano Cavalcante (UB). Ex-prefeito de Ilha das Flores por dois mandatos, tendo feito o seu sucessor, ex-presidente da Fames, a federação que engloba boa parte dos municípios sergipanos e, atualmente, pré-candidato a deputado estadual, Cristiano é esposo da prefeita de Capela, Silvany Mamlak, também do UB e tem como bandeira um “mandato municipalista” – o que é algo um tanto quanto genérico, convenhamos, leitor e leitora. E embora não exerça um papel, digamos, de “1° damo”, é inegável o papel relevante dele na gestão da esposa. E isso, a um só tempo, é um fundamento e um complicador de suas possibilidades de sucesso eleitoral. Fundamental porque Capela é um belo colégio eleitoral, cidade-polo em sua região, com raio de influência pelas cidades vizinhas. Então, o bom desempenho de Silvany na prefeitura impacta diretamente numa aceitação, que pode se transformar em votos, de Cristiano. Por outro lado, vale lembrar que a prefeita está em seu segundo mandato, além de, como ex-esposa do ex-prefeito capelense Manoel Sukita – um fenômeno eleitoral, sem dúvida alguma -, há sim o risco de Silvany estar em pleno processo de desgaste, de cansaço mesmo, junto a população, por ter algo como quase duas décadas de influência política direta, tendo sido protagonista seja durante o período em que foi 1ª dama, seja nesses atuais períodos como prefeita, o que é absolutamente normal. Mas é justamente nesse ponto que as chances eleitorais de Cristiano passam a correr um risco relevante: a oposição capelense, comandada por Sukita, deve apresentar a filha dele, Isa Sukita, também como pré a estadual. As chances de uma repetição da disputa municipal em 22 na disputa por vaga na Alese são reais. E essa polarização deve garantir a Cristiano uma parte considerável dos votos capelenses. Acontece que a população, em sua sabedoria orgânica, pode optar por equilibrar o jogo local e pender mais pra Iza do que pra Cristiano, que passaria a depender demais dos votos de Ilha das Flores, que não tem um grande eleitorado, uma vez que também existem pré-candidaturas fortes no entorno de Capela e mesmo no Baixo São Francisco. Político habilidoso, Cristiano terá que se esforçar bastante, pois, dentre as disputas analisadas nesta série Renovação na Alese, seu nome tem chances de vencer, sim, mas também tem competidores a altura bem no seu encalço. Aguardemos!

Deixe um Comentário