Mais do que alcançar a quantidade, partidos devem focar em qualidade nas candidaturas de mulheres. Taí um bom exemplo do PSD!

Quando o percentual mínimo de candidaturas femininas foi aprovado como regra a cada eleição, muitos partidos levaram isso muito menos a sério do que deveriam. Resultado: um monte de processos cobriu o país de norte a sul por conta de fraudes nas cotas femininas, resultando, inclusive, em perdas de mandatos, coisa bem malfeita e que só dá a real dimensão da incompetência nas mais diversas instâncias partidárias. Mas ao invés de revirar o lixo do passado, que inclui um caso bem escabroso aqui mesmo em Sergipe, AndersonsBlog vai buscar um exemplo de boa prática nesse sentido, justamente para que isso se torne a regra nas eleições de 22 e não fique apenas como honrosa exceção. O PSD, do pré a governador Fábio Mitidieri, louvou, e com razão, a filiação da advogada Ana Lúcia Aguiar, ocorrida no último dia 31. E ela já chegou chegando: é também a mais nova integrante do PSD Mulher em Sergipe. Tudo bem, tudo certo, mas aonde é que AndersonsBlog quer chegar utilizando esse exemplo? Simples: comecemos pelo currículo pré-política partidária de Ana. Ela é presidente da Associação Brasileira de Mulheres de Carreira Jurídica de Sergipe (ABMCJ-SE), tem atuação reconhecida em sua atividade, além de trabalhar pela paridade de gênero. E o que isso tudo quer dizer? Mais uma vez, é bem simples: independente do sucesso eleitoral dela ou não, é muito difícil que uma pessoa com o histórico de Ana se preste a um papel deplorável como uma fraude nas cotas femininas. Assim, a figura de Ana pode ser utilizada como exemplo não apenas por seus predicados, mas por sua história. E todos que dirigem partidos em Sergipe devem se mirar nesse tipo de postura: não exponham as mulheres filiadas em suas agremiações aos papéis ridículos a que algumas delas foram expostas em recentes eleições. Além de ser uma prática nefasta, herdada de um patriarcado retrógrado que, infeliz e tristemente, entende o papel da mulher como sendo menor, cometer esse tipo de erro pode ser fatal para o seu partido e para todos os demais candidatos dele. Assim, utilizando Ana Lúcia Aguiar como exemplo, que a cota feminina nas eleições seja pra valer, com mulheres que saibam que valem muito enquanto cidadãs ativas e participativas e que elas valem – e também merecem – a atenção de todo o eleitorado! Simples assim!

PS. AndersonsBlog não conhece Ana Lúcia Aguiar, mas teve sua atenção chamada pela sua assessoria e, justamente por não conhece-la, acredita que ela pode contrinuir para balizar corretamente o comportamento dos dirigentes partidários para as próximas eleições. E, em próximas postagens, muito mais mulheres por aqui passarão, inclusive aquelas que, com imensa alegria, AndersonsBlog conhece e pode chamar de queridas amigas!

Deixe um Comentário