PM sergipana segue calvário: Marcony e os oficiais trabalhando sem IFV

Para o leitor e a leitora, IFV pode parecer um palavrão. Mas é uma coisa bem simples. Trata-se da Indenização por Flexibilização Voluntária, que é concedida na Polícia Militar de Sergipe, a partir de decisão de seu comando, aos profissionais de segurança que cumpram serviços extras. Portanto, nada demais, né isso? Direito de todos os trabalhadores, né verdade? Pois bem, chegou ao AndersonsBlog que o Coronel Marcony, comandante da PM/SE, estaria escalando oficiais lotados no interior do Estado para serviços extras, acrescidos dos serviços administrativos das respectivas companhias, sem o IFV ser pago. Ou seja: trabalha mais, ganha o mesmo e não pode reclamar, viu? A denúncia chegou ao blog através da Associação dos Militares de Sergipe (Amese), que ainda destaca que, para o “comandante só quem tem ‘direito’ a IFV é seu primo, o coronel Edenisson, que recebe 9,5 IFV por mês, acrescida de cargo em comissão e gratificação de representação, enquanto os demais são obrigados a trabalhar em escalas extras sem remuneração”. O espaço está aberto para o contraditório, como sempre, aliás! Mas, em procedendo tal denúncia, além do desrespeito aos trabalhadores, o comando da PM/SE estaria colocando, mais uma vez, seus comandados em situação vexatória e, por fim, novamente criando situações embaraçosas e complicadas para o próprio governador Belivaldo Chagas (PSD) que, em suma, foi quem deu confiança e crédito ao nomear o Coronel Marcony como comandante da PM sergipana. Será que é essa a consideração que Belivaldo merece como agradecimento, Coronel Marcony?

Deixe um Comentário