Ser ou não ser: afinal de contas, Alessandro Vieira será ou não será candidato ao Governo do Estado?

Será, sim! Mas o leitor e a leitora podem se questionar: como é que AndersonsBlog pode afirmar assim, tão categoricamente, que o senador Alessandro Vieira (Cidadania) vai encarar a peleja pelo governo estadual, sem titubear? Simples demais! Alessandro, em primeiro lugar, não tem nada a perder, a não ser a própria eleição, se for o caso. Mas outras questões se somam a essa mais que provável decisão dele se candidatar a governador. O fato de que sua pré a Presidência está fazendo água é uma delas. Mesmo tendo sido eleito no esteio da onda da “não-política” – uma bobagem gigantesca essa de se declarar “não político” e participar de uma eleição, né não? –, Alessandro é um cabra muito inteligente e que aprende rápido. Por isso ele descobriu que decidir ser candidato de si mesmo é um caminho bastante certeiro para o fracasso. Assim, com a eleição nacional inviabilizada por conta da força que o PSDB, leia-se João Dória, governador de São Paulo, exerce sobre o Cidadania, leia-se Roberto Freire, presidente dessa agremiação, resta apenas uma chance de protagonizar o pleito em 22: ser candidato ao governo de Sergipe e ponto. Mas Alessandro não teria um plano B? Lógico que, inteligente como é, ele tem sim! Inicialmente seria apoiar o nome da delegada Daniele Garcia (Podemos). Mas há um certo ranço de ambas as partes, mais forte da parte de Alessandro por conta dele ter sido “escondido” da campanha de Daniele pela prefeitura de Aracaju em 20. Mas veja, leitor e leitora, não se trata de uma briga declarada, mas de arranhões que, em algum momento, o mertiolate do tempo pode até curar. Só que tempo é o que menos se tem até outubro. Então, Alessandro teria também um plano C, que seria apoiar uma candidatura ao governo genuinamente de oposição, que poderia ser de uma Emília Correia (Patriotas) ou, e mais provavelmente, de um Valmir de Francisquinho (PL). Diante dessas constatações, uma certeza se preserva: o senador Alessandro Vieira não passará o ano de 22 na janela, com cara de paisagem. Ele irá protagonizar a disputa. E se nenhum dos planos alternativos vingarem, será ele mesmo o candidato a governador. Pode anotar aí!

Deixe um Comentário