Cláudio Nunes avalia situação política atual de Valmir de Francisquinho. E AndersonsBlog vai entrar no assunto

Sob o título “Valmir de Francisquinho e a maturidade de quem pode decidir o jogo”, o jornalista Cláudio Nunes fez, em seu blog, uma portentosa análise sobre o cenário eleitoral sergipano para 2022, especialmente em relação ao ex-prefeito de Itabaiana, Valmir de Francisquinho (PL). Nesta postagem, AndersonsBlog vai reproduzir exatamente esse trecho específico do blog de Cláudio (leia-o completo clicando aqui) e em breve voltará ao tema, por considerar esse debate deveras importante. Por enquanto, boa leitura, leitor e leitora. “Quando o político vive em paz e de bem com quem realmente importa, que é a população, tudo o que ele diz ou faz, e até mesmo o que ele nem disse ou nem fez, ganha uma repercussão enorme. O melhor exemplo disso em Sergipe, nesse momento, é o ex-prefeito de Itabaiana, Valmir de Francisquinho (PL). Na última segunda-feira, 22, o senador Rogério Carvalho (PT) realizou evento na cidade serrana com prefeitos da região Agreste e de outras partes do Estado. E Valmir, o que fez? Elegantemente recebeu Rogério, como, aliás, já havia feito com Danielle Garcia (Pode) quando esta foi dar uma entrevista na cidade. Conversou com o senador, com prefeitos, vereadores e populares. E, assim que o evento começou, também muito elegantemente, sem nenhum alarde, declinou da participação no encontro, realizado pelo staff petista para debater a situação dos municípios e a possibilidade do senador garantir emendas para as respectivas gestões. Tudo muito tranquilo e transparente. Mas, por se tratar de Valmir e por ele viver o momento positivo que vive, logo começou a boataria. Afinal, Valmir de Francisquinho fez desfeita com Rogério? Ou estaria o ex-prefeito itabaianense agindo de forma meticulosamente estratégica? Na opinião deste espaço, nem desfeita e nem estratégia. Na verdade, Valmir agiu corretamente ao não participar do evento petista por duas razões muito claras. A primeira, demonstrando uma maturidade incontestável, por entender que o momento é dos prefeitos. Por isso que, além de liberar, Valmir incentivou os gestores eleitos no ano passado com seu apoio a participarem. Com destaque para Adailton Sousa, seu sucessor em Itabaiana, bem como para o deputado estadual Talysson de Valmir, ambos também PL, o presidente da Câmara de Vereadores, Marcos Oliveira (DEM), e demais vereadores do agrupamento de Valmir: todos participaram ativamente do encontro, inclusive com direito à fala. Dessa maneira, Valmir saiu de cena no evento para deixar que os holofotes todos fossem direcionados àqueles que estão no exercício de seus mandatos. E isso é coisa rara de ser ver em políticos, ainda mais quando se está a menos de um ano da próxima eleição. A segunda razão que este espaço avalia como fundamental para a decisão de Valmir de Francisquinho quanto ao encontro petista é totalmente política. Porque mesmo sendo divulgado como um evento para que Rogério dialogue com prefeitos e lideranças, expondo seu mandato e ouvindo demandas, não deixa de ser também uma maneira do senador divulgar sua pré-candidatura ao governo estadual. E mesmo com o bom diálogo entre Valmir e Rogério, também é fato que o espaço que um quer, o outro também deseja. Ou seja: a escada que Rogério está subindo, até o ano que vem, quando deve oficializar sua candidatura ao governo, é a mesma que Valmir está subindo, degrau a degrau, com toda paciência, seriedade e respeito aos demais que almejam candidaturas em 2022. Só que Valmir só vai anunciar a qual cargo concorrerá justamente no próximo ano, como ele já disse e, portanto, sua discrição nesse episódio acaba reforçando que ele é um político que faz questão de manter a palavra dada. Essas posturas de Valmir têm angariado simpatia e respeito, com a exceção óbvia de seus adversários políticos paroquiais, da parte de todos os agrupamentos e vertentes políticas em atividade no Estado. Por isso mesmo que Valmir conversa com o próprio Rogério, com Danielle Garcia, com o deputado federal Fábio Mitidieri (PSD), além de aceitar prontamente convite do governador Belivaldo Chagas, também PSD, para uma conversa informal. E Valmir de Francisquinho tem ainda um fiel escudeiro e defensor que é o atual prefeito de Itabaiana. Adailton Sousa, bem ao seu estilo discreto, mas atuante, também vem construindo pontes para que se estabeleçam cada vez mais diálogos com a participação ativa de Valmir, como os encontros com os também possíveis candidatos a governador Edvaldo Nogueira (PDT) e Laércio Oliveira (PP), ocorridos na semana passada em Brasília, deixam antever. Por fim, esta análise do blog não arrisca um veredito sobre a decisão de Valmir de Francisquinho quanto a qual será sua candidatura no ano que vem. Mas tem certeza de que ele cumprirá com o que já declarou publicamente: será candidato, sem nenhuma dúvida, seja a governador, senador, deputado federal ou estadual. E se mantiver essa sua postura atual, tranquila, sem atropelos, sem arroubos e nem bravatas, respeitando a todos e dialogando sem restrições e sem preconceitos, mantendo a firmeza de suas palavras e posições, com certeza e independente de qual caminho resolver trilhar, Valmir de Francisquinho será um nome importante e decisivo nas eleições de 2022. Por isso que, na atualidade, mesmo sem mandato, ele segue sendo cortejado e elogiado por todos. E todas as suas palavras e/ou atitudes reverberam fortemente, como no caso da segunda-feira, dia 22. Coincidência ou não, 22 é o número do PL, partido que tem em Valmir de Francisquinho seu maior expoente em Sergipe e que, agora, é cobiçado até pelo presidente da República. Mas esse é tema para outra edição deste espaço”.

Deixe um Comentário