Gravíssimo: alunos do Murilo Braga, de Itabaiana, denunciam que existem matrículas no período noturno que visam só se aproveitar de cotas na universidade (COM VÍDEO)

Antes, vale a contextualização: o Colégio Estadual Murilo Braga está para Itabaiana assim como um Polivalente está para Lagarto e um Atheneu está para Aracaju e para todo o Estado.

Ou seja: é uma instituição pública de ensino referencial e histórica, em cujos bancos escolares passaram as figuras de maior destaque do município e coisa e tal.

Por isso mesmo que ver o vídeo em que estudantes do Murilo Braga dão as caras, sem medo de nada, não chega a ser uma novidade, afinal o Murilo forma esse tipo de cidadão e cidadã ativos e participativos desde sempre.

Mas a razão pela qual a estudantada está revoltada é, com o perdão da redundância, realmente revoltante. Alunos e alunas afirmam que diversos de seus colegas, matriculados no período noturno, o estão com um intuito claro, que seria aproveitar a política de cotas na universidade que prioriza estudantes vindos do ensino público, já que pertencem a famílias economicamente bem e não precisam trabalhar diuturnamente.

E que esses mesmos alunos, durante o dia, também estariam frequentando, como assistentes, as melhores escolas particulares itabaianenses.

Olha, leitor e leitora, realmente proibir alguém de se matricular é algo improvável. Mas ver alunos tomando a vaga de outros que só poderiam estudar a noite porque trabalham e ainda ver muitos desses mesmos estudantes tendo que deixar seus empregos para seguir com os estudos pela manhã ou pela tarde é dose!

Mas a coisa toda ainda piora: segundo o vídeo, conforme denunciam estudantes do Murilo Braga, representando o Conselho Escolar e o Grêmio Estudantil da instituição, a filha da diretora da DRE3, a Diretoria Regional de Educação da 3ª Região, um cargo político indicado pelo presidente da Alese, deputado Luciano Bispo (PSD), que engloba Itabaiana e municípios vizinhos, estaria também nessa mesma situação, matriculada no período noturno justamente para se aproveitar da política de cotas.

E, mais uma vez, reforça-se: pode até ser legal, mas não deixa de ser imoral, simplesmente um absurdo e um péssimo exemplo da parte de quem deveria, em tese, prezar por um funcionamento modelo da educação estadual na cidade e na região.

AndersonsBlog sabe que o secretário estadual de Educação, Josué Modesto dos Passos Subrinho, é pessoa séria e qualificada, tendo, inclusive, já sido reitor na Universidade Federal de Sergipe (UFS) e deve tomar as providências necessárias para averiguar as denúncias do alunato do Murilo Braga.

E espera-se também que o governador Belivaldo Chagas (PSD), que vive arrotando que “passa por cima de todo mundo”, não passe por cima dessa grave denúncia. Simples assim!

Assista o vídeo e chegue as suas próprias conclusões:

Deixe um Comentário