Silvany Mamlak X Valdevan 90 e quando o radiojornalismo faz seu papel social com louvor e em benefício da comunidade

Na última segunda, 10, na Rádio SIM FM de Carmópolis, durante o programa de George Magalhães – que, sim, anda fazendo uma falta danada na radiofonia aracajuana, independentemente de qualquer coisa – um tema, como tantos outros, não prometia grandes coisas até que a produção de George foi a fundo no debate necessário e colocou, tête-à-tête, a prefeita de Capela, Silvany Mamlak (PSC) e o deputado federal Valdevan 90 (PL). O parlamentar insistia que a prefeita havia recusado R$ 2 milhões em emendas, sendo que, destes, R$ 1 milhão seriam de seu mandato. Aliás, esse debate já vem se estendendo há um tempo e tem uma razão objetiva, apesar de não justificada: a disputa política e, porque não dizer, pessoal, entre o ex-prefeito capelense e ex-marido da atual prefeita, Manoel Sukita (sem partido) e a própria prefeita. Como Sukita é tido e havido como coordenador e mentor da campanha de 90 ao Senado, não é de se estranhar – ainda que ninguém seja obrigado a aceitar – que arranhões ocorram quando se trata de Capela e das ações do parlamentar em relação ao município. Mas a coisa ganhou ainda mais corpo após Valdevan, em evento público realizado em Pacatuba, dizer novamente que Silvany se negou a receber recursos. No debate radiofônico, a prefeita não apenas desmentiu o deputado, como pediu que ele confirmasse com sua assessoria se algo havia sido enviado a Capela de forma oficial, com comunicação via e-mail ou mesmo via mensagem de Whatsapp, como todos os parlamentares fazem. Valdevan disse que não “tinha essa informação naquele momento”. O que, em outras palavras, quer dizer que ele titubeou e, por essa razão, por não ter a informação precisa, jamais poderia afirmar que Silvany havia se negado a receber tais recursos. Mas o mais interessante do debate todo foi que prefeita, sabiamente, comprometeu o parlamentar no ar. “O senhor pode falar agora que não vai retirar da Capela os recursos que o senhor nunca enviou e pode dizer o que, finalmente, será enviado pelo seu mandato para nosso município”, disse Silvany, lembrando que está a disposição para colocar sua equipe a disposição para tratar das questões técnicas, tirar fotos para agradecer o deputado, fazer vídeo e que, apenas e tão somente, não vai participar de atos políticos ligados aos recursos que venham a ser alocados para Capela – e aqui é por demais lógica a postura dela, né não? Diante dos fatos expostos, Valdevan não teve – e, a partir de agora, não terá mais também – outra postura a não ser aceitar que ou ele manda mesmo os recursos para o município, ou acabará passando por mentiroso. Simples assim! Do episódio inteiro, louve-se a postura de Silvany Mamlak, que não arredou o pé de sua posição inicial e mostrou que a postura de Valdevan 90, até aquele momento, estava eivada de politicagem. Mas grandes créditos merecem ser dados a George Magalhães e a sua produção que, levando o bom debate ao ar, ajudou a resolver um imbróglio que, no final das contas, só prejudicava a população capelense. Sem mais!

Deixe um Comentário