PMs sergipanos obrigados a executar trabalhos extras sem remuneração?

Essa é para que você, leitor e leitora, possa fazer uma reflexão ao longo do final de semana. Então é assim: sextou, sabadou, domingou! O trabalhador e a trabalhadora aproveitam a chegada do final de semana para descansar, relaxar, estar com a família, os amigos, tomar aquela cervejinha e tal. Mas em tempos econômicos tão difíceis, quem é que não aproveitaria a oportunidade de um trabalho extra, com a devida e merecida remuneração também extra caindo na conta, mesmo em pleno final de semana? Ora bolas, praticamente ninguém se recusaria, né mesmo? Mas aí é uma decisão que cabe a cada um, sem uma obrigação prévia. Agora, imagine a situação: é final de semana, tem futebol, tem retomada gradual de eventos, tem cada vez mais gente nas ruas e, com isso, se faz necessária a presença cada vez maior da Polícia Militar de Sergipe (PM/SE) nas ruas das sextas à noite até o finalzinho dos domingos, já adentrando as madrugadas das segundas. Só que na hora de montar a escala de serviço extra, o comando não paga a justa remuneração extra a todos, destinando esse direito inalienável a “outros (leia-se familiares e amigos do comandante) que recebem mais de 10 IFV’s por mês, superando a cifra de R$ 10.000”, conforme denúncia recebida por AndersonsBlog. É isso mesmo que você, leitor e leitora, leu: um direito de quem faz trabalho extra, justamente a remuneração extra, a cargo da Indenização por Flexibilização Voluntária (IFV), no caso da PM/SE, não é pago a todos de maneira indistinta, democrática, transparente e, acima de tudo respeitando a cada homem e mulher que, muito honradamente, veste a farda da MP sergipana. E, claro, esse tipo de situação só ocorre porque o comandante da PM/SE, Coronel Marcony, permite e autoriza, o que, além da óbvia ilegalidade, gera desconforto interno na tropa, uma vez que, escalado para o trabalho extra, ai de quem, mesmo sem a IFV garantida, faltar, pois ficará sujeito a punições administrativas. Ainda bem que as denúncias que chegaram até a redação do site também estão sendo levadas ao Ministério Público de Sergipe (MP/SE). E, melhor ainda, que elas chegarão as mãos dos promotores Dejaniro Jonas, titular do Controle Externo da Atividade Policial, e Rogério Ferreira, titular da Auditoria Militar. O risco é que, diante de tantos mandos e desmandos cometidos pelo Coronel Marcony no comando da PM/SE e, com isso, com o acúmulo de denúncias de mais denúncias, realizadas de forma direta pelos policiais militares ou mesmo pelas entidades que os representam, acabe o MP/SE sendo obrigado a fazer trabalhos extras também nos finais de semana. Mas, nesse caso, seguramente fazendo jus e recebendo a justíssima remuneração extra, ora pois! AndersonsBlog já disse e repete: o governador Belivaldo Chagas (PSD) segue se desgastando de maneira desnecessária por conta das ações nada republicanas do Coronel Marcony. E o próprio, insistindo em se manter no poder a qualquer custo, vai jogando na lata de lixo da história tudo o que construiu ao longo de seus tantos anos na PM/SE. Vai vendo!

2 Comentários

  • José Wagner Santos oliveira

    25 de setembro de 2021 - 16:25

    Voce ver o proprio gorveno precisa da policia desvalorizar pouca vergonha a populacao precisa tambem da policia resumindo todos nos precisamos ai a sociedade sofre por conta de um governo corruptor

  • Edclay Alves Santos

    25 de setembro de 2021 - 19:47

    O serviço voluntário do repouso remunerado Militar Estadual é Lei Complementar aprovada e sancionada pelo Governador do Estado. Portanto, se o militar honradamente cumpriu de maneira integra a sua escala de serviço extra, que da mesma forma honrosa , seja recompensado remuneradamente. Mediante os excelentes informativos do ANDERSONSBLOG, estou agora ciente de que estas denúncias chegaram ao conhecimento do MP/SE

Deixe um Comentário